Exame inédito no mundo para detecção da COVID-19 em larga escala

Caso tenha interesse em realizar o exame em sua organização ou fornecê-lo aos seus clientes, clique no botão abaixo e preencha seus dados. Entraremos em contato o mais breve possível.

 
 

O primeiro exame genético do mundo para detecção em larga escala do novo coronavírus por meio da técnica de sequenciamento NGS

Com acurácia equivalente à do método RT-PCR, o padrão ouro de diagnóstico, a técnica é mais eficiente e é capaz de analisar até 16 vezes mais amostras no mesmo intervalo de tempo. Esse novo recurso surge como opção viável de testagem em massa, representando um enorme avanço no combate à pandemia e a previsão é de que esteja disponível para entrar na rotina do Laboratório do Einstein dentro de três semanas.

Este é o primeiro teste do mundo de diagnóstico do novo coronavírus baseado em Sequenciamento de Nova Geração (Next Generation Sequencing – NGS) com 100% de especificidade – ou seja, que não apresenta casos de falso-positivo. A técnica NGS consiste na leitura de pequenos fragmentos de DNA para a identificação de doenças ou mutações genéticas. A grande inovação foi a adaptação do método para detectar RNA.

 

Saiu na mídia:

Forbes-1
Veja
Valor-Economico
Folha-de-S.-Paulo
O-Globo
Estadao
Exame
El-Pais
poder_preditivo

Eficiência

Identifica a presença do vírus, funcionando como instrumento diagnóstico a ser usado desde o primeiro dia de infecção, da mesma forma que o RT-PCR, o que o torna uma alternativa viável de adoção de testagem diagnóstica em massa.

 
seguranca

Segurança

Exame desenvolvido seguindo boas práticas e recomendações de instituições respeitadas como o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, e a Food and Drug Administration (FDA), a agência americana responsável pela aprovação de medicamentos e tecnologias em saúde.

 
eficiencia

Alto poder preditivo

As primeiras validações demonstram alta capacidade (90%) de identificar corretamente os indivíduos que contraíram a doença. Elas foram executadas usando amostras testadas na rotina habitual do laboratório no Hospital Israelita Albert Einstein, no Morumbi (São Paulo).